Polícia

RIO PRETO - JUSTIÇA: Homem acusado de Matar Criança de 10 anos será levado a Júri Popular

RIO PRETO - JUSTIÇA: Homem acusado de Matar Criança de 10 anos será levado a Júri Popular

(Foto: Divulgação/Guilherme Baffi)
A Justiça de Rio Preto negou o pedido de avaliação de sanidade mental do acusado

Carlos Eduardo dos Santos Alves, de 27 anos, será julgado por júri popular pela morte de Mikaele dos Santos Santos, de apenas 10 anos, ocorrida em setembro do ano passado no bairro Santo Antônio, em São José do Rio Preto.

A decisão foi tomada pela Justiça de Rio Preto, que negou o pedido de avaliação de sanidade mental do acusado. Carlos enfrentará as acusações de estupro de vulnerável e homicídio qualificado. A data para o julgamento ainda não foi determinada.

O artesão foi preso poucas horas após o crime, graças a imagens de câmeras de monitoramento. As investigações lideradas pelo delegado Alceu Lima de Oliveira Júnior revelaram que a criança foi vítima de abuso sexual antes de ser assassinada. Durante o interrogatório, Carlos confessou estar sob o efeito de substâncias entorpecentes nos dias que antecederam o crime e descreveu um episódio de perda de consciência após o ataque à criança.

O promotor Evandro Ornelas Leal argumentou que o crime foi cometido para garantir a impunidade do acusado, já que a vítima o conhecia e poderia identificá-lo como autor do abuso. O juiz Luís Guilherme Pião qualificou o homicídio com quatro agravantes: crueldade, impossibilidade de defesa da vítima, intenção de ocultar outro crime e o fato de a vítima ser menor de 14 anos.

A defesa, representada pelo advogado Renato Cezar Ananias do Amaral, indicou que o estado mental do acusado poderia ter sido alterado, solicitando uma avaliação psiquiátrica. No entanto, o juiz recusou o pedido, citando a falta de evidências de insanidade mental antes dos fatos e destacando a clareza e coerência no depoimento do réu.

Este caso chocante foi amplamente noticiado pela imprensa local, incluindo uma matéria detalhada pelo Regional24horas na época do crime.

A comunidade de Rio Preto aguarda o julgamento, esperando que justiça seja feita pela jovem Mikaele e sua família. A mãe da vítima recebe assistência do Instituto Valquírias, que designou a advogada Daiana Pessoa como assistente da acusação.
(Com informações de O Diário da Região)


Leia Também:

GUSTAVO DOCES

Outras notícias

Site Desenvolvido por
Agência UWEBS Criação de Sites