Polícia

TRAGÉDIA EM INVESTIGAÇÃO: Família de Olímpia foi morta com 24 disparos de 9mm; Veja vídeo da coletiva desta sexta-feira (19)

TRAGÉDIA EM INVESTIGAÇÃO: Família de Olímpia foi morta com 24 disparos de 9mm; Veja vídeo da coletiva desta sexta-feira (19)

(Foto: Divulgação)
Anderson foi morto primeiro, com 7 tiros, Mirele foi a segunda a ser morta,  foi atingida por 13 disparos, a filha Izabelly, foi morta em seguida por 4 disparos

O delegado Seccional de Polícia de Votuporanga, Drº Márcio Nosse convocou uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira (19),  ao lado do delegado da DIG, Drº Thiago Madlum, e do delegado titular do DEINTER de São José do Rio Preto, Drº Cavalcante, para trazer novas informações sobre a prisão do suspeito de assassinar a família de Olímpia (SP) encontrada com sinais de execução em um canavial de Votuporanga (SP).

O triplo homicídio foi descoberto pela polícia no dia 1º de janeiro em Votuporanga (SP). O casal e a filha, de Olímpia (SP), desapareceram em 28 de dezembro do ano passado

De acordo com a Delegacia de Investigações Gerais (DIG), o suspeito de 23 anos tem passagem por tráfico de drogas e foi preso temporariamente por 30 dias, mas negou o crime.

A polícia, no entanto, suspeita que as mulheres não tinham ligação com o tráfico, e que os criminosos não tinham conhecimento da presença da família no local, e suas mortes tenham sido conseqüência da intenção de não deixar rastros e dificultar as investigações.

 Os corpos das três vítimas tinham marcas de tiros e estavam em estado de decomposição, em uma estrada de terra que passa pelo canavial.

Segundo o delegado da DIG, Drº Thiago Madlum, durante a entrevista, Anderson foi morto primeiro, com 7 tiros, e pela dinâmica o indivíduo que efetuou os disparos estava de frente a vítima. Mirele que estava no banco frontal do passageiro foi a segunda a ser morta,  foi atingida por 13 disparos efetuados de fora do veículo. A filha Izabelly, estava sentada no banco traseiro, escondida atrás do banco do passageiro e foi morta em seguida por 4 disparos. Ainda segundo o delegado, tudo aconteceu muito rápido, que a vítima Mirele, não teve tempo suficiente nem para retirar o cinto de segurança.

Ainda conforme Drº Thiago, os autores premeditaram o crime, estudaram detalhadamente rotas de fuga, para evitar câmeras de segurança e radares durante o percurso, assim também como o próprio local do crime que fora "escolhido a dedo". Também levaram os celulares das vítimas, para dificultar a investigação, assim como ocultar qualquer contato que foi feito antes do crime.

Baseado em provas técnicas, segundo o Drº Thiago, "incontestáveis", o que liga o suspeito preso em Valentim Gentil (SP) ao crime cometido. O aparelho celular que estava em posse do suspeito, foi apreendido e será encaminhado para pericia a fim de encontrar qualquer informação relevante.

"Nós acreditamos que ele(o preso) não praticou o crime sozinho, que há participação de outras pessoas(...)não é ele o 'elo' de ligação com o crime, ele é uma das peças para a prática do crime (...) acredito que ele não seja o chefe, mas tem a participação dele que foi provada"; cita o delegado Drº Thiago.

O que chamou a atenção dos delegados é o fato de que Anderson não ter ligação com Votuporanga, que conforme as investigações, durante o ano de 2023 ele não esteve na cidade.

"(...) este é um fato que nos chama a atenção, (...) não ter contato aqui e não ter 'negócios', assim dizendo, aqui na cidade (Votuporanga)."; continua Drº Thiago

Conforme apurado pelas investigações, noticiado pelo delegado Drº Thiago, tudo indica, que a família não tenha sido interceptada no caminho à Rio Preto, e sim que as vítimas foram atraídas para uma emboscada no local do crime.

"Ele (Anderson) veio por conta própria para a cidade, ele não foi arrebatado no caminho, seqüestrado, ou forçado a estar no local."; menciona Drº Thiago

Quanto a nova pericia solicitada no veículo, segundo o delegado, se tratava da intenção de localizar vestígios de drogas, para confirmar a versão que ele estaria trazendo entorpecentes no carro.

"(...) se ele (Anderson) foi de fato levar drogas, os autores também subtraíram esse entorpecente."; relata Drº Thiago

Sobre a motivação do crime, o envolvimento com dívidas do tráfico ou  mesmo disputa por território, ainda permanece em investigação.

"(...) se ele estava devendo drogas, disputa por território, ou se ele 'passou a perna', assim dizendo, em algum outro comparsa, nós não sabemos! A real motivação (...)não foi esclarecida ainda(...); continua Drº Thiago

O Preso não será liberado na audiência de custódia, afirma o delegado da DIG, Drº Thiago, não será analisado o mérito da prisão e sim as circunstâncias. Quanto a esposa e filha saber das atividades praticadas por Anderson, o delegado entende não ser relevante para o momento, que não há informações sobre esse conhecimento, ou sua posição de envolvimento com o tráfico, que o que importa agora é investigar as circunstância da morte, autoria e materialidade.

"(...)é até importante a gente esclarecer um pouco, que aqui ele (Anderson) está como vítima (...) não nos interessa tanto, saber qual era a posição dele (Anderson) lá em Olímpia, se de fato ele exercia uma posição de liderança (...), poderá ser aprofundado em um momento breve, caso a gente entenda, por exemplo, que o mandante seja da cidade de Olímpia (...); esclarece o Delegado Drº Thiago

Ainda conforme os relatos do delegado, uma testemunha de Olímpia que possivelmente trabalhava para Anderson, foi quem ligou a vítima ao tráfico de drogas. Segundo a testemunha Anderson o convidou a fazer a entrega das drogas em Votuporanga, mas devido ao baixo valor que seria pago pelo serviço o mesmo se negou a realizar, o que levou a vítima a fazer pessoalmente o trabalho.

Conforme dito pelo delegado Drº Márcio Nosse, as investigações ainda estão em curso e dados mais aprofundados ainda serão mantido em sigilo afim de não atrapalhar o andamento dos trabalhos, e ressaltou que circunstâncias ainda serão esclarecidas, assim como o envolvimento de outros autores. Indagado, concordou e reforçou a frase dita pelo experiente Delegado de Barretos Drº Maestrinho durante a Live realizado pelo jornalista Julião Pitbull, "O Sangue desta adolescente, não ficará impune!"

E pelo andar da carruagem não ficará mesmo.
(Com informações da Live transmitida por VotuNews)

Veja na Íntegra a Coletiva de Imprensa desta Sexta- Feira (19) (Por VotuNews)


Leia Também:

 

Outras notícias

LOJA DE INFORMATICA DA NEIA NO SHOPPING
Site Desenvolvido por
Agência UWEBS Criação de Sites